» Blog » Atualidades

Método eficaz para emagrecer - parte 1

Atualidades

A obesidade é um importante fator de risco para o diabetes, doenças do fígado gorduroso, doenças cardiovasculares e até câncer. A prevalência de obesidade aumenta devido a mudanças no ambiente e estilos de vida. Resulta de um desequilíbrio entre consumo e gasto energético, sendo que o excesso de energia é armazenado no tecido adiposo.

 A ingestão e o comportamento alimentar são principalmente controlados pelo cérebro, basicamente por duas regiões: a parte frontal, relacionada a propriedades hedônicas, ao prazer de comer; e o hipotalamo e região posterior do cérebro, que são reguladas por circuitos homeostáticos e hormonais. Ambos os circuitos são prejudicados por fatores genéticos, mas principalmente ambientais, podendo resultar em comer compulsivo.

O sistema hedônico está relacionado à palatabilidade de alimentos, gerando percepção de sabor e o "gosto e preferência" por alimentos saborosos. Desempenha um papel fundamental na transformação de "gostar" (subjetivo) para "querer" alimentos palatáveis. É esse sistema que é estimulado quando há abusos de drogas ilícitas, ou seja, podemos afirmar que o alimento pode gerar vicio.

No ato de comer, o cheiro, o gosto e sinais de textura são transmitidos para o cérebro cognitivo e emocional e sustentam o comportamento alimentar. Depois que os alimentos entram no sistema digestivo, uma distensão física do estômago gera um sinal de saciedade que é transmitida para o cérebro.  Acontece, então, a secreção de hormônios que promovem a saciedade, são mais de 20 hormonios e neurotransmissores envolvidos nesse mecanismo.

Em geral, alimentos de palatabilidade simples, branda ou até ruim, não são consumidos em excesso, enquanto que alimentos saborosos são continuamente consumidos mesmo após a saciedade ter sido ativada, ou seja, podendo haver exageros. Sendo assim, o controle hedônico, ou de recompensa cerebral, é superior ao controle homeostático para a regulação do apetite e saciedade.

O estado de fomepode aumentar a estimulação das regiões cerebrais envolvidas com o controle hedônico. Imagine-se num momento de muita fome, o que você tem vontade de comer? Uma salada, uma fruta? Ou uma porção de batatas fritas, um fast food? Você já fez uma dieta muito restritiva, onde passou por períodos de fome? Já ouvi relatos de pacientes no meu consultório sonhando com hamburgueres...

Nosso ambiente moderno proporciona facilidade para acesso a esses alimentos, sendo esse um importante fator de risco para o desenvolvimento da obesidade. Vivemos num ambiente “obsogênico”.

Podemos concluir que uma maneira estratégica para emagrecimento é alimentar-se de refeições simples, sem exageros de temperos, molhos, cremes, sal e açúcar, em horários regulares para que não seja disparada uma fome excessiva e o controle hormonal de saciedade seja perfeitamente estimulado e percebido.

Nutricionista Mariana Herzog Ramos
Graduada pela Universidade Federal de Viçosa-MG (UFV)
Esp. Nutrição Clínica Funcional, Universidade Cruzeiro Sul São Paulo/CVPE
MS. Ciências Fisiológicas, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

 




ar2
Webmail Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Resultados no Bing Resultados no Google RSS Feeds
 © 2012, Dietética Refeições - Todos os direitos reservados. (27) 3235-2499.
App Facebook Instagram You Tube